Muezzin


Apesar de avisados, foi com sobressalto que acordámos às cinco da manhã com o chamamento à oração (adhan) do muezzin da mesquita anónima que ficava bem perto do hotel. Tínhamo-nos esquecido de fechar uma janela e a presença do muezzin era mesmo muito, muito próxima.

Cinco vezes por dia os crentes são chamados à oração diária (salat) pelos muezzin. Em grande parte das mesquitas os amplificadores de som nos minaretes ajudam aqueles que têm por função lembrar que é tempo de rezar.

No penúltimo dia da nossa viagem a Istambul, subimos à torre Galata durante um rápido entardecer. Subitamente, quando as luzes da cidade se começavam a acender, desencadeia-se um simultâneo chamamento dos muezzin das centenas de mesquitas dos dois lados da cidade. Não há fotografia nem texto que registe o impacto desse coro estranho e hipnótico para os nossos ouvidos. A nossa companheira de viagem, Teresa Lopes, registou no gravador do telemóvel o chamamento do “nosso” muezzin na última manhã da nossa viagem. Aí fica o som para provarem.

Ouvir o muezzin todas as madrugadas, lembrava-nos que estávamos muito longe de casa. E era bom.

Etiquetas:

2 Comentários a “Muezzin”

  1. Por acaso não precisam de mais um elemento para a vossa equipa de viagens? É que com isto tudo estão a aguçar-me o apetite, então as fotos são totalmente esclarecedoras, nem precisavam de comentar.

    1 abraço.

    Jorge Salvador.

  2. Ana Maria Cavalcante diz:

    Os dias que passei em Istanbul foram enesquecíveis.
    O som do muezzin ao entardecer e ao amanhecer me tocava o
    coração profundamente.
    Naquele momento eu sentia o amor de Deus despertar em todo meu
    ser.

Comentar