A ler jornais

Não é método de avaliação de um comportamento social deduzir a partir do que vemos uma regularidade. Se assim fosse, diríamos que os turcos lêem muito, pelo menos, lêem muito jornais: às portas das lojas, nos jardins, nas bancas dos bazares, nos cafés, nos mercados de rua vemos turcos embrenhados na leitura de jornais enquanto esperam clientes, no intervalo do almoço, quando esperam pelo transporte, enquanto viajam nos ferries.

Muhenna Kahveci, fotojornalista que connosco organizou a exposição Istambul, Lisboa – Roteiros da Melancolia (ver post “Melancolias expostas” em Feveereiro 2011) proporcionou-nos uma visita ao jornal onde desenvolve a sua actividade, o jornal Zaman que este ano comemora 25 anos de existência. Confessamos a nossa surpresa ao depararmo-nos com um edifício moderno de oito andares, com uma arquitectura que um museu de arte contemporânea de qualquer parte do mundo não desdenharia.


Em seis andares, trabalham 14 fotojornalistas e 80 jornalistas (50% são mulheres). Cerca de 600 pessoas estão envolvidas na coordenação editorial, nas outras fases da edição, na ilustração e design, na gestão dos recursos humanos, na área comercial e administrativa. (cerca de 40% são mulheres).
São publicadas duas edições, uma de manhã e outra ao início da tarde, saindo para as ruas um total de 5 milhões de exemplares do Zaman.

Visitámos o centro de impressão no edifício que produz 250 000 cópias diárias dirigidas para a cidade de Istambul e zonas vizinhas. Para além deste centro de impressão, há mais cinco noutras cidades turcas que imprimem jornais que integram as realidades regionais. Para além do jornal, o grupo publica livros, sobretudo de política e de ficção. A ciência e a cultura são menos populares.


Há uma edição em inglês, Today’s Zaman, com uma tiragem de perto de 7000 exemplares. A edição do jornal on line – Today’s Zaman – é sobretudo muito lida no estrangeiro podendo ser consultada AQUI

A visita a este jornal que ocupa uma posição cimeira na imprensa escrita turca e o conhecimento da tiragem de muitos jornais que se publicam na Turquia reforçou a nossa impressão inicial. Mas vamos procurar mais informação para fundamentar a afirmação: os turcos lêem muito jornais!

Etiquetas:

3 Comentários a “A ler jornais”

  1. De facto, os turcos lêem muitos jornais. Na çay evı da aldeia onde passamos as férias, os homens passam os dias não só a tomar şekerli çayı como a ler as suas gazetler e os assuntos são discutidos muito civilmente, apenas interrompidos pelos Beş Vakit! Escusado será dizer que nas aldeias da Turquia ocidental o consenso político e religioso é uma constante. O que é muito interessante na Turquia, é que não se lê um jornal qualquer; cada um lê o jornal da sua escolha política e religiosa e o jornal que se tem na mão bem seguro é um definidor por execelência do leitor e, por vezes, as nuances que os distinguem não são fáceis de entender para um estranho. Na çay evı da nossa aldeia de veraneio lê-se muito o Zaman e os tablóides mais conservadores, no café da praia o Cumhuriyet dos kemalistas clássicos e o Radikal dos seculares jovens, e também os jornais económicos. Todos eles apelam a públicos diametralmente diferentes: kemalistas e seculares versus religiosos; a dicotomia cultural entre o Ocidente e o Oriente Médio, uma constante nos livros de Pamuk, é o demoninador comum que tria a população turca em várias direcções. Mas num país desta dimensão, são inúmeros os jornais e as suas variantes regionais e as opiniões sobre os assuntos que interessam este povo tão diverso e tão marcado e influenciado ainda pelo grande império otomano.

  2. istambul5dias diz:

    Agradecemos mais uma vez estas preciosas informações!

  3. desculpem quis dizer “denominador comum”…fugiram-me os dedos no teclado!

Comentar